Buscar
  • Admin

Melhor só ou mau acompanhado?


O termo absenteísmo é bastante conhecido no meio corporativo, principalmente entre os profissionais de Recursos Humanos, que precisam lidar com indicadores nem sempre favoráveis às metas da empresa.



Trata-se da falta de assiduidade ao trabalho, situação muito preocupante, principalmente em um momento em que as empresas tendem a trabalhar com

quadro reduzido de funcionários.

Muito combatido nas empresas, devido aos impactos de sua ocorrência, o absenteísmo é visto como o maior vilão da produtividade, uma vez que a falta de um funcionário muitas vezes sobrecarrega os demais que precisam absorver a carga de trabalho extra daquele período. Mas será que esse vilão age sozinho? E quando a equipe está completa, mas mesmo assim a produtividade parece andar a passos de tartaruga? Entre outros fatores um vilão oculto pode estar agindo na sua equipe. O presenteísmo.


Tão ou mais prejudicial que o absenteísmo, o presenteísmo é o fenômeno de se estar apenas de corpo presente no local de trabalho. Ou seja, mesmo que o profissional não falte ao trabalho, sua mente não está ali. Seus pensamentos vagueiam entre assuntos e lugares alheios à tarefa que está sendo desenvolvida. Essa situação pode ser bem pior do que o absenteísmo.

Vejamos algumas razões:


1- O Presenteísmo pode afetar ainda mais a produtividade:

Enquanto no absenteísmo temos uma situação onde o trabalho de um ausente precisa ser feito por outras pessoas, no presenteísmo ninguém irá assumir as tarefas do colega, pois em teoria ele está ali e não há o que ser feito por outros. Devido à presença física, o diagnóstico das razões de uma baixa produtividade pode ser mais difícil, pois investigações mais profundas precisam ser feitas até que se conclua que um ou mais indivíduos não estão fazendo seu trabalho com a qualidade eficiência que deveriam. E como sabemos tempo é dinheiro.


2- O presenteísmo é fisicamente perigoso.

Imagine um profissional que atua no setor de manutenção, onde seu trabalho envolve manuseio de ferramentas, maquinário e outros itens potencialmente perigosos. A falta de foco e atenção no trabalho podem facilmente levar à distração e a um acidente de trabalho. Nesse caso o presenteísmo levará a

grandes prejuízos financeiros, produtivos, mas principalmente à integridade

física do colaborador.


3- O presenteísmo é caro

Qual o empresário ou chefe de setor, responsável por uma equipe, com metas a serem batidas e pedidos a serem entregues, contrataria uma pessoa para fazer “nada”. Pois é exatamente o que acontece em casos de presenteísmo. Muitas vezes, sem perceber, temos na equipe uma pessoa paga para não fazer seu trabalho. Essa situação é bem mais difícil de ser percebida em funções administrativas do que em cargos de linha de produção. Funções administrativas

costumam ter rotinas mais diversas, pouco palpáveis e com resultados medidos a longo prazo. Muitas vezes, quando o presenteísmo é percebido, muito tempo se passou e grandes oportunidades foram perdidas. Os prejuízos são grandes.


Mas por que o presenteísmo ocorre?

Como já citado, o presenteísmo é uma condição onde o corpo está presente, mas a mente não. É uma situação oposta ao mindfulness, que tratamos neste artigo. Sendo assim, podemos perceber que as causas que levam ao presenteísmo são situações que afetam a concentração e tranquilidade do profissional. Vejamos algumas situações que podem levar ao presenteísmo:


1- Problemas de ordem pessoal:

Dificuldades financeiras, problemas no casamento, com os filhos ou outros problemas familiares. Lutas internas e indecisões são exemplos de problemas pessoais que tiram o foco do profissional.


2- Problemas de saúde:

Desnecessário citar que doenças interferem na capacidade produtiva.Mesmo um simples resfriado pode diminuir a capacidade de concentração.


3- Problemas no ambiente de trabalho:

A insatisfação com o trabalho é uma das principais causas do presenteísmo. É comum encontrarmos bons profissionais, que, por não se sentirem valorizados na empresa em que atuam, não conseguem ter o ânimo suficiente para desempenhar suas tarefas com qualidade. Por estarem sempre pensando em sair ou mudar algo, não encontram em sua mente tempo para focar na atividade.


Como evitar o presenteísmo no ambiente de trabalho?

Como vimos, uma das principais fontes do presenteísmo é a insatisfação com o ambiente de trabalho. Nesse sentido as empresas podem ajudar seus funcionários tomando ações que ajudem seus colaboradores a se sentirem mais valorizados e aumente assim o senso de pertencimento.


As ações de endomarketing são uma ótima ferramenta no combate ao presenteísmo. Em geral podemos citar três ações básicas que são eficazes no combate a esse mal:

a) Estimular a motivação – Através de ações de endomarketing e programas de valorização do profissional.

b) Estar atento à saúde física e mental – Verificar periodicamente a saúde dos colaboradores através de exames periódicos e programas de saúde, bem-estar e relaxamento.

c) Promover um ambiente de trabalho amigável – onde a equipe esteja alinhada aos ideais da empresa e não seja criado um ambiente de competição, mas de colaboração.


CONCLUSÃO

O presenteísmo pode ser um vilão ainda mais perigoso que o absenteísmo. Por ser de difícil monitoramento e percepção, o presenteísmo muitas vezes mostra suas garras quando a situação já está bem crítica. Apesar da gravidade muitas ações podem ser tomadas no sentido de evitar esse mal e retomar o controle da situação. Cabe à empresa estar atenta e propor meios de evitar que o presenteísmo tome conta de sua equipe.


Gostou do post? Quer saber como a AliviumTerapia pode te ajudar no combate ao

presenteísmo e absenteísmo em sua empresa? Entre em contato conosco e solicite um orçamento para nosso programa de saúde e bem-estar corporativo. Sua equipe agradece.

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon