Buscar
  • Admin

SÍNDROME DE BURNOUT, UM RISCO PARA FUNCIONÁRIOS E EMPRESAS

A síndrome de Burnout é uma condição crônica caracterizada por um estresse excessivo geralmente provocado por sobrecarga e excesso de trabalho, sendo essas as principais causas da doença.



Essa condição é mais frequente em pessoas cujas atividades profissionais sejam exercidas sob pressão e responsabilidades intensas. O nome provém de um termo em inglês que pode ser traduzido como “esgotamento”. Portanto a síndrome de Burnout é a “síndrome do esgotamento”, seja ele físico ou mental.


O QUE SENTE A PESSOA COM SÍNDROME DE BURNOUT?

A lista de sintomas em pessoas com Síndrome de Burnout é extensa. Em geral os pacientes costumam sentir uma exaustão completa no trabalho, sensação de inferioridade, negatividade, alterações repentinas de humor, dificuldade de concentração, insônia, fadiga e frustração constante. Esse quadro pode ser considerado grave e estar associado a doenças como a depressão. O resultado desse conjunto de sintomas é o isolamento social, afastamento da família e, muitas vezes, a perda de emprego, antes mesmo que seja feito um diagnóstico preciso.


POR QUE O ASSUNTO MERECE TANTA ATENÇÃO?

As pressões, sobrecargas e a exaustão no ambiente de trabalho têm sido motivo de grande preocupação tanto para colaboradores quanto para empregadores. Segundo a OMS, problemas relacionados à saúde mental levam à redução de produtividade, o que gera perdas de US$ 1 trilhão por ano no mundo. Já no Brasil, segundo estudo da Escola de Economia de Londres de 2016, a depressão no trabalho leva a perdas US$ 63,3 bilhões anualmente, levando o país ao segundo lugar no ranking daqueles que mais perdem dinheiro com depressão no trabalho, estando atrás apenas dos EUA com US$ 84,7 bilhões. Dentro dessa estatística estima-se que no Brasil 32% dos profissionais sofram da Síndrome de Burnout.


COMO IDENTIFICAR O BURNOUT

Diferentes métodos foram desenvolvidos para identificação e diagnóstico desse esgotamento no trabalho. Um dos mais aplicados é o questionário desenvolvido pelo grupo MBI (Maslach Burnout Inventory) liderado pela psicóloga americana Christina Maslach. O documento identifica o Burnout em três dimensões:


1- Exaustão emocional – Sentimento de sobrecarga e desgaste emocional.


2- Despersonalização - diz respeito aos sentimentos negativos em relação ao próximo e às atitudes de ironia e cinismo com o outro.


3- Falta de Realização Pessoal - está relacionada com os sentimentos de inadequação pessoal e profissional ao trabalho. A aplicação deste método permite avaliar cada uma dessas dimensões nos indivíduos pesquisados.


EXISTE TRATAMENTO?

O tratamento do Burnout é feito com psicoterapia, que pode ainda ser associada a medicamentos antidepressivos e ansiolíticos. Mudanças nas condições de trabalho e no estilo de vida são fundamentais para aliviar o estresse e controlar os efeitos da doença. É sempre importante lembrar que o diagnóstico e tratamento devem ser recomendados somente por um médico. Nunca faça autodiagnostico e automedicação.


O QUE AS EMPRESAS ESTÃO FAZENDO?

As empresas que se preocupam com o bem-estar dos funcionários, entendendo também os prejuízos advindos de doenças com a Síndrome de Burnout, estão investindo cada vez mais em ações que visam a melhorar a qualidade de vida de seus funcionários. Ter uma equipe com ótima saúde mental é primordial para que bons resultados sejam alcançados e seja reduzido o número de faltas, afastamentos e despesas. É altamente recomendável que a empresa invista em palestras motivacionais, treinamentos e ações que promovam a saúde física e mental de seus colaboradores. Os profissionais das áreas de recursos humanos e gestão de pessoas podem implementar na empresa algumas ações que podem fazer a diferença. As ações descritas abaixo fazem com que o funcionário se sinta valorizado e mais motivado ao trabalho:


- Criar um programa inclusivo onde a família do funcionário possa participar de atividades promovidas pela empresa, como programas sociais e assistenciais.


- Oferecer o benefício de programas de Quick Massage e relaxamento.


- Incentivar um clima de colaboração na equipe, através de atividades dentro e fora da empresa que aumentem o senso de amizade entre os colegas.


- Incentivar a adoção de hábitos saudáveis, com exercícios físicos e boa alimentação. Os programas de ginástica laboral, se possível ao ar livre são excelentes para esse propósito.



ONDE POSSO BUSCAR AJUDA?

Em empresas especializadas em trazer benefícios que reduzem o estresse e combatem os fatores que levam à Síndrome de Burnout. Além das dicas já citadas, ainda existem muitas outras ações que podem ser tomadas e que trarão resultados surpreendentes para sua empresa. Entre em contato conosco e descubra como a Alivium Terapia pode te auxiliar nesse desafio.


REFERÊNCIAS

1- https://www1.folha.uol.com.br/sobretudo/carreiras/2017/06/1889868-brasil-e-segundo-pais-que-mais-perde-dinheiro-com-a-depressao-no-trabalho.shtml


2- https://www.who.int/mental_health/in_the_workplace/en/


3- https://istoe.com.br/sindrome-burnout-trabalho


4- https:/www.researchgate.net/publication/277816643_The_Maslach_Burnout_

Inventory_Manual

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon